Pré História

TRIBO BORORO

O povoamento humano da região teve início com o estabelecimento de grupos caçadores-coletores em fins do Pleistoceno e início do Holoceno, por volta de 12.000 a 10.000 anos atrás. Nesse momento, a região apresentava uma situação ambiental diferente da atual. Desde o início do Holoceno até uns 1.000 anos a.C., período em que muitas áreas tornaram-se ecologicamente semelhantes em relação à sua atual configuração ambiental, grupos caçadores-coletores, portadores de tecnologias distintas e sistemas socioculturais complexos, ocuparam praticamente todo o Centro-Oeste. No milênio anterior ao início da Era Cristã, alguns desses grupos gradativamente desenvolveram ou adotaram técnicas de cultivo, geralmente associadas à produção de recipientes cerâmicos.

Em verdade, o Centro-Oeste parece ter sido uma região de confluência para onde várias sociedades indígenas, sobretudo as agricultoras e ceramistas, se deslocaram por motivos variados.

Os antigos bororos distribuíam-se por extensa região, compreendida entre a Bolívia, a oeste; o rio Araguaia, o rio das Mortes, ao norte; e o rio Taquari, ao sul. São tradicionalmente caçadores e coletores, porém adaptaram-se à agricultura, da qual extraem sua subsistência. Destacam-se pela confecção de seus artesanatos de plumagem (cocar e braçadeiras em pena) e também pela pintura corporal em argila.

TRIBO XAVANTE

Os A’uwe, como se autodenominam os Xavante, sempre foram um povo itinerante não permitiu que ratificassem seu domínio permanente sobre o território. O freqüente confronto com outros povos indígenas, principalmente os Bororos, angariou-lhes fama de belicosidade.

ATUALIDADE

Publicidade

[adrotate group="1"]